A Música e a Emoção – Por que algumas músicas nos fazem chorar?

Pelo visto, nem mesmo nosso choro é realmente nosso.

Já está demonstrado cientificamente que uma música pode desencadear lágrimas e nos fazer chorar.

Após ler a reportagem do Wall Street Journal referente a música de Adele, “Someone Like you” e o porquê ela nos faz chorar, resolvi pesquisar um pouco mais sobre o assunto e publicar aqui.

Embora a experiência pessoal e a cultural desempenham reações individuais (será que é realmente individual?), pesquisadores descobriram que determinadas características das músicas estão diretamente associadas ao desencadeamento de fortes emoções nos ouvintes.

O psicólogo britânico John Sloboda conduziu um experimento simples há vinte anos atrás. Pediu a algumas pessoas que identificassem trechos de suas músicas preferidas que desencadeassem alguma reação física, como lágrimas ou arrepios. Os participantes identificaram 20 passagens desencadeantes de lágrimas e, ao analisar suas propriedades, Sloboda descobriu que 18 delas continham um dispositivo musical chamado Appoggiatura, do verbro appoggiare em Italiano, ou melhor, nota apoiada.

Appoggiatura é um tipo de nota ornamental que se choca com a melodia apenas o suficiente para criar um som dissonante, para entender melhor, clique aqui.

Quando várias appoggiaturas ocorrem uma após a outra em uma melodia é gerado um ciclo de tensão e libertação e isso provoca uma reação ainda mais forte, o choro e depois nos faz sentir bem.

Quando a música quebra de repente seu padrão esperado, nosso sistema nervoso simpático (o que provoca ações básicas como acelerar o coração quando corremos, por exemplo) entra em alerta máximo; nossos corações aceleram e começamos a suar. Dependendo do contexto, interpretamos este estado de excitação como positivo ou negativo, feliz ou triste.

Músicas emocionalmente intensas liberam dopamina no nosso centro de prazer e recompensa do cérebro, o núcleo accumbens. Isso nos faz sentir bem e nos motiva a repetir o comportamento. Seja uma música triste ou feliz, o nível de dopamina liberada é o mesmo, isso sugere que quanto mais emoções uma música provoca, mais queremos ouvi-la.

A música nos leva a um nível de resposta emocional tão intenso que é raro experimentar essas sensações em outras atividades do nosso dia a dia.

 

MARIANA VERZARO | Doutoranda em Neurociência pela USP, colaboradora editorial e professora do curso de Neurobusiness na Elephanti

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *