POR QUE OS ADULTOS ROUBAM?

Aluno: Por que os adultos roubam?

Krishnamurti: Você não rouba algumas vezes? Não sabe de algum garotinho que roubou alguma coisa que queria de outro garoto? É exatamente a mesma coisa pela vida afora, seja você jovem ou velho, apenas as pessoas mais velhas o fazem mais espertamente, com uma porção de palavras bonitas; eles querem riqueza, poder, posição, e conspiram, planejam, filosofam para conseguir.

Eles roubam, mas isso não é chamado roubo, usa-se alguma palavra respeitável.

E por que roubamos? Primeiro, porque, da forma como a sociedade está agora constituída, ela priva muitas pessoas das necessidades da vida; alguns segmentos da população têm alimento, roupas e abrigo insuficiente, daí fazem alguma coisa a respeito disso.

Há também aqueles que roubam, não porque têm alimento insuficiente, mas porque são o que é chamado de antissocial. Para eles roubar se tornou um jogo, uma forma de excitação – o que significa que não tiveram educação
verdadeira. Educação verdadeira é compreender o significado da vida, não apenas estudar exageradamente para passar nos exames. Existe também roubar num nível mais elevado, o roubo das ideias de outras pessoas, o roubo de conhecimento. Quando estamos atrás do ‘mais’ sob qualquer forma, estamos obviamente roubando.

Por que estamos sempre pedindo, mendigando, querendo, roubando?

Porque em nós mesmos não há nada; internamente, psicologicamente somos como um tambor vazio. Estando vazios, tentamos nos preencher não só roubando coisas, mas imitando os outros. Imitação é uma forma de roubo: você não é nada mas ele é alguém, então você vai pegar um pouco da glória dele copiando-o.

Esta corrupção passa por toda vida humana, e muito poucos estão livres dela. Então o importante é descobrir se o vazio interior pode ser preenchido. Enquanto a mente estiver procurando se preencher, estará sempre vazia.
Quando ela não estiver mais preocupada em preencher seu próprio vazio, só então esse vazio deixa de existir.
(J. Krishnamurti – Think on These Things)

quero saber mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *